quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Eletricidade. Entendendo o que é.

Compreendendo a eletricidade. Saiba o que são Prótons, nêutrons e elétrons. Descubra que é a movimentação dos elétrons livres que forma a corrente elétrica.

O Relâmpago é a eletricidade estática acumulada nas nuvens. Essas cargas elétricas lançam-se ao espaço na tentativa de neutralizar os átomos. Quando isso acontece, evidentemente, a eletricidade deixa de ser estática e se transforma em corrente elétrica
by Roberto M.
É impossível imaginar-se o que seria a vida de hoje, se não existisse a eletricidade. Tudo gira em torno da eletricidade. Ela pode produzir luz (lâmpadas), calor (aquecedores), movimento (motores elétricos), efeitos eletrônicos (rádios), reações eletroquímicas (galvanoplastia).
Mas o que é a eletricidade? Seu uso tornou-se tão comum nos dias atuais que, ao ligarmos um interruptor, não damos nenhuma importância ao agente que a produz.

Para compreender a eletricidade, é necessário conhecer alguma coisa sobre o átomo.
Tudo o que nos rodeia, que tem massa e ocupa lugar no espaço, é o que chamamos de matéria. Toda matéria é formada por átomos.

Quando vários átomos da mesma espécie se juntam, formam os elementos e estes, por sua vez, combinam-se de várias formas, para formarem as substâncias.

Já na Grécia antiga, dizia-se que a matéria podia ser dividida em partes cada vez menores até atingir um ponto que não permitiria mais divisão. Essa seria a unidade fundamental da matéria, que os gregos denominaram átomo (indivisível).

Entretanto, a idéia de átomo indivisível já não tem mais sentido, pois se sabe que ele é constituído de duas regiões distintas: o núcleo e a eletrosfera; e cada uma dessas regiões é formada por partículas ainda menores.

O átomo é um sistema descontínuo (predominam os espaços vazios) formado por um núcleo extremamente pequeno e pesado, composto por partículas com cargas elétricas positivas (prótons) e neutras (nêutrons). Em torno do núcleo, guardando certa distância, giram diminutas cargas elétricas negativas (elétrons) que constituem a eletrosfera.

O átomo é formado pelo núcleo (prótons e nêutrons) e pela eletrosfera (elétrons)

Os prótons são partículas que apresentam carga elétrica positiva unitária (+1) e massa também unitária (1), valores esses, relativos, que servem para fazer a comparação com as cargas e as massas dos elétrons e nêutrons.

Os nêutrons têm massa praticamente igual ao próton e não têm carga elétrica.

Os elétrons têm carga elétrica negativa, unitária (-1) e massa muito pequena, cerca de 1840 vezes menor que a do próton (desprezível em relação à massa do próton).

Os átomos são tão pequenos que, seriam precisos bilhões de átomos para cobrir a superfície da cabeça de um alfinete. O diâmetro de um átomo é da ordem de 10-8 cm. O núcleo é ainda muitas vezes menor, seu diâmetro é da ordem de 10-12 a 10-13 cm.

Como já dissemos, toda matéria é formada por átomos, e todos os átomos são formados de prótons, nêutrons e elétrons.

Entretanto, os átomos não são todos iguais. Eles diferem entre si pela quantidade de prótons, nêutrons e elétrons. Veja abaixo dois exemplos de átomos:

O átomo de hidrogênio tem um prótom e um elétron. O átomo de hélio tem dois prótons, dois nêutrons e dois elétrons

No átomo de hidrogênio, por exemplo, a parte central, ou núcleo, contém um próton carregado com uma carga positiva. À volta dele gira um único elétron, carregado com uma carga negativa. Uma vez que o núcleo é positivo e o elétron é negativo, eles atraem-se mutuamente, resultando um átomo eletricamente neutro.

Já o átomo de hélio contém, no núcleo dois prótons e dois nêutrons e na eletrosfera, dois elétrons. Como os nêutrons não têm carga, esse átomo também é eletricamente neutro.

Os outros átomos contêm mais prótons e elétrons, o Urânio, por exemplo, contém 92 prótons e 92 elétrons.

Em algumas substâncias, os elétrons que se movem na periferia dos átomos são atraídos pelo núcleo com uma intensidade muito pequena e podem libertar-se facilmente. Esses são os chamados elétrons livres. Quando isso acontece, o átomo perde elétrons e fica carregado positivamente, Nestas condições, o átomo tende a atrair outros elétrons, numa tentativa de se tornar neutro outra vez.

Substâncias como a prata, o cobre e o chumbo tem elétrons livres e, portanto têm essa movimentação de perda e ganho de elétrons (são bons condutores de eletricidade).

Outras substâncias, porém, como a borracha, a porcelana e o vidro, têm elétrons periféricos que não se soltam com facilidade, portanto não têm a movimentação de perda e ganho de elétrons (são substâncias isoladoras).

Portanto, sempre que existir essa movimentação de elétrons livres, podemos dizer que existe eletricidade. A eletricidade manifesta-se de duas formas principais: eletricidade estática, ou em repouso; e corrente elétrica, ou eletricidade em movimento.

A eletricidade estática manifesta-se sempre que um excesso de elétrons se acumula numa determinada superfície.

A corrente elétrica é o nome que se dá ao movimento das cargas elétricas através dos corpos

A eletricidade não tem cor, não tem cheiro e praticamente não tem massa, mas pode ser notada através de seus efeitos. 

Artigos Recomendados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...